Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes é lembrado neste 18 de maio

Utilidade Pública em 18 de maio, 2021 16h05m
Facebook Twitter Whatsapp

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Cidadania, comandada pela Secretária Pérola Maria Fonseca Cardoso, está realizando ações em alusão ao dia 18 de maio, data quando é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

Entre as ações realizadas, estão a veiculação de entrevistas radiofônicas, concedidas pela secretária da pasta, confecção de placas informativas sobre o assunto instaladas em pontos estratégicos da cidade, além de apresentação de palestras online, em parceria com a Unijales.

Criado oficialmente pela Lei nº 9.970/2000, em memória à menina Araceli Crespo, de 08 anos, que foi sequestrada, violentada e assassinada em 18 de maio de 1973, este dia tem como objetivo ressaltar a importância de combater o abuso infantil. No Brasil, é estimado que a cada uma hora, 4 meninas de até 13 anos sofram abuso sexual.

Publicidade

“Para vocês terem ideia, no Brasil foram notificados mais de 66 mil casos de violência sexual no último ano, e desses, 71% foram contra crianças e adolescentes. 75% das vítimas possuem algum tipo de vínculo com o agressor e 81% delas são meninas. Os números de denúncias de pornografia infantil na Internet também são assustadores. Precisamos proteger nossas crianças”, frisou a secretária da pasta.

No ano passado, Jales atendeu aproximadamente 40 casos de violência sexual envolvendo crianças e adolescentes de 2 a 17 anos. O município conta com uma rede de proteção à criança e ao adolescente e as pessoas podem denunciar os abusos através do Disque 100, Conselho Tutelar (17 99602-7583), Polícia Civil (17 3632-3366) ou Polícia Militar (17 3632-1710).

“Esteja atento para ouvir, proteger e denunciar sempre que tiver conhecimento ou suspeitar que uma criança ou adolescente foi vítima de violência sexual. É preciso garantir a toda criança e adolescente o direito ao seu desenvolvimento de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual”, ressaltou Pérola.

Publicidade
Compartilhe esta notícia:
Facebook Twitter Whatsapp