Presidente da Câmara de Itapagipe Anderson Dequinha avalia os 100 dias do mandato

Política em 12 de abril, 2021 15h04m
Facebook Twitter Whatsapp

O jornalista Caliton Cristiano, do Jornal da Cidade entrevistou com exclusividade o Presidente da Câmara Municipal de Itapagipe, Anderson Luiz de Queiroz, o popular Dequinha fazendo uma avaliação dos 100 dias de mandato, 100 dias de presidência do Legislativo, os quais vem apresentado um trabalho bastante intenso, com muitos projetos e muitas ações sendo desenvolvidas mesmo neste momento de pandemia. Acompanhe a entrevista nesta edição e a integra da entrevista da página do Facebook, do Jornal da Cidade. 

JORNAL DA CIDADE - Presidente Anderson Dequinha a primeira pergunta não pode ser diferente, nestes 100 dias hoje como você avalia o trabalho que veem sendo desenvolvido pela Câmara Municipal de Itapagipe?
DEQUINHA: Eu avalio de forma muito positiva, forma muito boa já aprovamos aqui mais de 25 projetos, alguns de suma importância e já fizemos algumas adaptações aumentando o espaço de atendimento da Câmara, onde o vereador tem um espaço para atender o cidadão, quando estiver podendo; pois agora por conta da pandemia a gente não pode estar fazendo este atendimento diário. Mas o vereador vai ter uma sala de reuniões e nós trabalhamos muito nestes 100 dias, acredito que de forma positiva, algumas polemicas que sempre surge, algumas vaidades, isto é normal e nós estamos aqui para passar por cima destas questões, para esquecer essas diferenças, divergências de opiniões e, fazer o que for melhor para a população. 

JORNAL DA CIDADE - Dentre as melhorias além da sala da presidência e a sala de reuniões para os vereadores, Dequinha como você pôde ajustar a parte administrativa da Câmara para que vocês tivessem um trabalho mais eficiente, a contenta do que exige o momento?
DEQUINHA: Bom, quando a gente chegou aqui a gente viu que da região a nossa Câmara é uma das mais econômicas na questão de funcionários, então vimos que todos funcionários que estavam aqui estava desempenhando um papel muito bom e a gente notou que na nomenclatura de cargos criados na Câmara de Itapagipe, existia um cargo de assessor jurídico vago, onde tinha o procurador só que ele não tinha o auxiliar, um  assessor jurídico e a gente resolveu contratar um advogado, para este cargo para agilizar, principalmente os pareceres e analises dos projetos, para não cometermos nenhum erro, garantindo uma celeridade no processo de aprovação dos projetos apresentados na Câmara. Isto, porque temos um volume grande de projetos do Executivo e dos vereadores, onde somente eu já apresentei dois e tenho outros, como vários vereadores também. 

JORNAL DA CIDADE - Dequinha destaca alguns destes projetos aprovados pelos vereadores, que certamente beneficiará a população itapagipense? 
DEQUINHA: Eu vou voltar mais atrás, no início da gestão, aprovamos o projeto do Orçamento Impositivo, onde o vereador poderá destinar um valor em recursos do Orçamento do Município, para determinada obra, ação ou projeto a ser executado, tornando mais democrático a forma de distribuição deste recurso. Agora recentemente por exemplo a gente aprovou o projeto do Diário Eletrônico Oficial, que vai gerar economia para os cofres públicos até mesmo para a Câmara, tivemos os projetos de reajuste dos plantões dos médicos que estava sem reajustar desde 2014; o projeto para pagar o sobreaviso para as técnicas, enfermeiras, para as faxineiras e, agora esperamos garantir o mesmo benefício para os motoristas que estão na linha de frente do Covid; 

JORNAL DA CIDADE - Existe algum projeto de adequação interna e das normas e códigos do Município de Itapagipe, no planejamento da Câmara Municipal, presidente?
DEQUINHA: Sim, queremos reformular nosso Regimento Interno, a nossa Lei Orgânica, inclusive ela já está pronta, toda reformulada, onde estamos aguardando o momento ideal para os vereadores sentarem e manifestarem suas sugestões e ponto de vista, das alterações propostas, dependendo desta pandemia queremos até realizar uma Audiência Pública para população poder opinar. E temos ainda a necessidade de atualizar o Código Tributário, Código de Obras e Postura, para se ter uma ideia temos código de 1945, 1978 vigente no Município, mas tudo não depende somente de nós.

Publicidade

JORNAL DA CIDADE - Dentro deste trabalho Dequinha sabemos que é bastante intenso e tem sido desta forma diante da pandemia, mas como está o trabalho e diálogo entre Legislativo e Executivo?
DEQUINHA: O prefeito sempre tem disponibilizado seu tempo para conversar com a gente, todo vereador que procura o prefeito tem sido atendido, principalmente sobre os projetos, agora com esta questão de saúde a gente entende, que está muito corrido mesmo, mas antes ele estava reunindo com a gente e falando sobre todos os projetos que ele havia encaminhado naquela semana. Agora por último ele não tem feito isto, mas a gente tem procurado as informações com os secretários e com ele próprio e, eu como presidente tenho feito este trabalho de intermediação entre os dois poderes, podemos divergir de opiniões, mas a gente tem que ter harmonia para que as coisas não desandem, não pare, não vire briga e no fim atrapalhe a população. Eu acredito que ainda tem muitas pessoas que está no calor da campanha, da eleição e a gente tem que deixar isto para trás e usar este tempo em prol da população. 

JORNAL DA CIDADE: Foi apresentado um projeto que torna as atividades religiosas essenciais no Município, durante a pandemia. Gostaríamos que você explicasse o fundamento desta aprovação como essencial até mesmo para que saibam diferenciar o fundamento, da parte técnica do projeto?
DEQUINHA: Ele ainda não foi aprovado, ele foi apresentado e dois membros da Comissão de Legislação, Justiça e Redação não concordaram com o projeto e deram parecer contrário, então agora vamos aguardar os tramites internos. Porém, o nosso projeto sobre essencialidade não e para a gente liberar os cultos, os cultos a gente vai seguir o decreto municipal, porque para a parte técnica existe uma comissão com o prefeito, os quais decidem sobre os decretos e restrições ou os afrouxamentos, não iremos interferir nisto. Agora a parte do trabalho social das igrejas a gente considera como essencial, por exemplo temos a Casa da Sopa que no sábado atende cerca de 50 famílias e estão restritas a fazer isso no final de semana, neste último fim de semana por exemplo instituições religiosas que fizeram arrecadação de alimentos e arrecadou 1.700 quilos de alimento, para ajudar as famílias que precisam e não podemos perder este apoio da sociedade, através das religiões, cada uma da sua forma fazem um trabalho social muito importante na cidade, o qual neste momento de dificuldade é extremamente importante, a prefeitura sozinha não consegue abraçar a todos. 

JORNAL DA CIDADE: Dequinha gostaria que você falasse agora dos projetos do vereador Dequinha, a gente sabe que você é professor, um cidadão muito atuante no município e tem seus projetos próprios, conforme você apresentou esta semana o projeto para construção do Moto Pista em Itapagipe e, a gente sabe que você tem muitos outros projetos?
DEQUINHA: Olha eu nunca pensei em ser presidente da Câmara, mas quando eu fui eleito passei a estudar o Regimento Interno da Casa a Leis, então me sinto preparado e realmente temos muitos projetos, muitas coisas a realizar em benefício da população de Itapagipe. Além, desta indicação da necessidade da Moto Pista, para que as pessoas possam tirar a habilitação de moto aqui na cidade, fiz uma indicação para prefeitura pagar uma bolsa para os professores, que estão usando a internet da sua casa, energia, folha, tinta de impressora, arcando com todas estas despesas; então entendo ser necessário este auxilio aos professores, enquanto durar a pandemia. Estamos acompanhando de perto todas necessidade da população, indo ver os problemas de perto e temos muitos projetos na área  da educação; queremos viabilizar a Guarda Mirim, portanto estarei visitando o projeto em Frutal, na próxima semana; tenho acompanhado o desdobramento das questão dos estudantes universitários que é uma bandeira que eu defendi e tem um impasse da prestação de contas da Associação dos Universitários, que não pode prejudicar os alunos que já estão tendo aulas; queremos criar a área do pequeno agricultor buscando parcerias com órgãos responsáveis como EMATER , IMA , FIEMG   para estar trazendo qualquer tipo de projeto que possam estar vindo melhorar a renda do pequeno produtor do nosso município; trabalharemos para criação dos bosques municipais e os parques; tenho o projeto ambiental para reciclagem, compostagem e reaproveitamento de lixo; identificamos que falta varredeiras de ruas nos bairros e vou verificar a ponte do Rio Verde e, ainda assim temos muita coisa para pôr em prática e pouco a pouco a gente vai apresentando e buscando os caminhos e parceiros para concretizar. 

JORNAL DA CIDADE: Para finalizar Dequinha eu gostaria que você passasse a sua mensagem a população de Itapagipe, reafirmando o compromisso de trabalhar em benefício da população? 
DEQUINHA: Para a população eu deixo aqui meus sinceros sentimentos, meus pêsames a todas famílias que perderam seus entes queridos que Deus conforte e ampare o coração de cada um deles. Temos trabalhado muito procurando dar suporte as ações do Executivo e, eu reafirmo meu compromisso de transparência, honestidade e o diálogo, as vezes demoro responder porque sou professor e trabalho em duas escolas, mas assim que posso sempre respondo; pois agora não sou somente um cidadão, um professor, continuo minha atuação como cidadão e ainda sou professor e vereador e farei tudo que tiver ao meu alcance para fazer o melhor para nossa população itapagipense.

Publicidade
Compartilhe esta notícia:
Facebook Twitter Whatsapp