Aumenta número de detentos com Covid-19 no Triângulo e Alto Paranaíba

Jornal Pratense em 16 de novembro, 2020 11h11m
Facebook Twitter Whatsapp

O número de detentos diagnosticados com a Covid-19, aumentou em unidades prisionais do Triângulo e Alto Paranaíba, segundo o Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG). No fim da última semana as unidades de Prata, Araxá, Carmo do Paranaíba, Frutal, Itapagipe, Patos de Minas e Uberaba tinham casos registrados.  
No Prata há apenas um infectado. Porém, já são mais de 65 detentos infectados com a doença na região. Até dia 29 eram 43. Os dados são referentes às unidades prisionais das áreas de abrangência da 5ª, 9ª e 10ª Regiões Integradas de Segurança Pública (Risps). Diante dos casos, medidas de segurança foram adotadas.  A área com mais casos registrados é a a 5ª Risp: são 23 detentos no Presídio de Itapagipe; seis no Presídio de Araxá I; e quatro no Presídio de Frutal I. Destes, todos estão assintomáticos ou com sintomas leves da doença e são acompanhados pelas equipes de saúde das unidades. Ao todo são 50 casos. 

Implantação de mais medidas de segurança 

Segundo o Depen-MG, diversas ações estão sendo realizadas para prevenir e controlar a disseminação do coronavírus nas unidades prisionais de Minas Gerais, dentre elas: 
Transferências: Todas as pessoas presas em Minas Gerais estão sendo encaminhadas para uma unidade específica em cada região e ficam, pelo menos, 15 dias, em quarentena e observação, evitando possível contágio caso fossem encaminhadas de imediato para outras unidades. Após a observação e atestada a sua saúde, são encaminhadas para as demais unidades prisionais do Estado. 
Casos Suspeitos: no caso de presos que já se encontram no sistema prisional, caso apresentem sintomas da Covid-19, o protocolo é o seguinte: isolamento imediato, realização de exames e, em caso de confirmação, tratamento segundo protocolo da área da Saúde. 
Profissionais de segurança: estão com as escalas de trabalho dilatadas, de forma a diminuir a circulação desses servidores intra e extramuros. 
Realização de audiências: foram instalados equipamentos para a realização de videoconferências judiciais em todas as unidades prisionais que estão, aos poucos, se adaptando para uso dessa ferramenta. Com isso, evita-se o deslocamento da maioria dos presos para o ambiente extramuros e diminui-se o risco de contágio pelo coronavírus. 
Desinfecção de ambientes: as áreas estruturais como celas, pátios, áreas administrativas e técnicas, portarias, guaritas e, também, veículos estão passando por higienização reforçada, semanal, durante a pandemia. 
Máscaras e EPIs: o sistema prisional está produzindo máscaras para uso nas próprias unidades e segurança de todos. No interior das unidades prisionais já foram produzidas 3,5 milhões de máscaras por custodiados. Todos os servidores são obrigados a circular no interior das unidades de EPIs. 

Publicidade
Compartilhe esta notícia:
Facebook Twitter Whatsapp