Manifesto pede a duplicação da MGC-497 entre Prata e Uberlândia

Jornal Pratense em 29 de setembro, 2020 09h09m
Facebook Twitter Whatsapp

Péssimas condições da pista e número elevado de acidentes fez com que trecho ficasse conhecido como “Rodovia da Morte” 

O último fim de semana foi de protestos na MGC-497. Diversas pessoas se reuniram para pedir a duplicação da rodovia que liga Prata a Uberlândia. A falta de acostamento, péssimas condições da pista e o número elevado de acidentes fez com que a via ficasse reconhecida como “Rodovia da Morte”. A mobilização reuniu motoristas das duas cidades e autoridades políticas no trevo da Petrobrás. 

O empresário farmacêutico, Mácio Donizete Almeida Vilela é pratense e foi um dos participantes do movimento. Ele afirma que esse é um importante passo para chamar a atenção das autoridades. “É muito importante essas melhorias, pois está muito intenso o trânsito neste percurso e tende a aumentar mais. Já foram muitas vidas perdidas neste trecho, que além dos buracos, não tem acostamento”, conta. 

Márcio ainda ressalta que outras ações estão sendo organizadas e que para que essa solicitação se torne realidade é preciso o apoio de toda à comunidade. “Não faço parte diretamente do comitê organizador, mas sou muito interessado no caso, pois como a maioria dos pratenses, estou sempre usando essa rodovia. E acredito que uma das mais eficazes ações de cidadania é a participação da população nos movimentos que são benéficos para a maioria do cidadãos de uma determinada região. Se mais pessoas pensassem assim, o movimento poderia conseguir maior e mais rápido o sucesso. O brasileiro ainda não conhece o seu poder se nos unirmos”, reforça o empresário.  

Dentre as reivindicações está privatização e a inclusão do trecho na licitação de duplicação.  Segundo a organização, com a situação financeira do estado ter sido afetada devido a pandemia e por não haver verba para investimentos, a manifestação defende a iniciativa privada. 

Problema Antigo  

Mas se engana quem acredita que o problema é recente. A solicitação para melhorias na rodovia é antiga. Em 2015, O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou ação civil pública contra a União e o Estado de Minas Gerais, e contra o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e o Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG), pedindo a reforma e duplicação da BR-497.  

Na época, segundo o MPF, "o Estado de Minas Gerais não fez qualquer investimento na BR 497. Nem ao menos tem previsão de destinação de recursos orçamentários para construir acostamento nessa verdadeira rodovia da morte, que desde 2004 interrompeu a vida de mais de 91 pessoas". 

  

Publicidade

A ação relatava que, de 2004 a 2014 ocorreram 1.556 acidentes nesse trecho, com 91 mortes e 581 vítimas feridas, segundo dados da Polícia Militar de Minas Gerais. Em 2015, ano da ação, já haviam sido contabilizados 81 acidentes, com cinco mortes. O motivo para tantos acidentes estaria nas más condições da pista de rodagem e na total inexistência de acostamento em ambos os lados da rodovia. 

  

Durante as investigações, o MPF requisitou ao Instituto de Pesquisas Rodoviárias informações acerca da importância do acostamento em rodovias, recebendo a confirmação de que a função principal é "atender a questão de segurança, tornando-se tecnicamente obrigatório, para as rodovias pavimentadas, quando o Volume Médio Diário (VMD) de automóveis e veículos comerciais, nas duas direções, for superior a 300 veículos". 

Porém, até hoje, em 2020, não há informações quanto a duplicação. Márcio conta que apesar de ser antigo o anseio de ambas comunidades, Prata/Uberlândia e ainda não ter saído do papel, o atual momento está bastante favorável. “As formas de divulgação e interação das comunidades interessadas e os políticos viabilizadores do projetos são mais eficazes.  Além de termos o Ministério Público, o DNER , a PRF e alguns políticos a favor desta duplicação, as redes sociais impulsionam essas ações a patamares de visibilidade como nunca antes alcançados. Infelizmente, os políticos só atuam onde conseguem ver capital eleitoral, por esse motivo a participação da população e de suma importância”, ressalta. 

MGC-497 

BR-497 - com 353 km de extensão - é uma rodovia federal que encontra-se hoje sobre a administração do Estado de Minas Gerais e do DER-MG, em função de convênio de cooperação técnica e operacional firmado com a União. 

Publicidade
Compartilhe esta notícia:
Facebook Twitter Whatsapp

Comentários