Secretário de Educação de Limeira do Oeste adota regime híbrido e implanta o Plano de Intervenção Pedagógico

Educação em 22 de fevereiro, 2021 11h02m
Facebook Twitter Whatsapp

Secretário Clodoaldo de Oliveira

Após formado a Comissão Municipal de Saúde e Educação, a elaboração do Protocolo Sanitário de Retorno às Atividades Escolares Presenciais, no contexto da Pandemia da COVID-19 e, ainda a elaboração do Calendário Escolar 2021; bem como a instituição da Comissão Interna de Aplicação dos Protocolos Sanitários nas Escolas, a Rede Municipal de Ensino de Limeira do Oeste adotou o regime híbrido para o retorno das aulas, que funcionará mediante rodízio de turmas e escalonamento semanal de alunos.
Falando à reportagem do Jornal da Cidade, o secretário de Educação Clodoaldo Oliveira explicou como funciona este rodízio de alunos para que não haja déficit de aprendizagem. Ele disse que as escolas estão trabalhando com 50% dos alunos em semanas alternadas, o que é inovador na região. Outras cidades têm mesclado horários e dias alternados.
“A opção por semana alternada é para que o professor possa passar o conteúdo por completo para a turma, mesmo ela tendo 50% da presença, iniciando e terminando o clico de aprendizagem do aluno. Enquanto uma turma recebe a aula presencial, a outra metade tem as apostilas e aulas online para acompanhar. Na outra semana, alterna as turmas e o ensino não fica segmentado”, explicou Clodoaldo.
O retorno tem seguido todas as medidas sanitárias necessárias para resguardar os profissionais da Educação e alunos, tais como: sanitização das escolas, aquisição de EPIs para os profissionais e transportadores escolares; capacitação de toda a rede quanto aos cuidados necessários, implantação de tapetes sanitizantes na entrada das escolas, instalação de dispênseres de álcool gel nos pavilhões e sabonete líquido nos sanitários, suportes de copos descartáveis, termômetro para medicação de temperatura, álcool 70 % em todas as salas de aula, distanciamento entre os alunos, recreio dirigido e escalonado, dentre outras medidas importantes na proteção da saúde de todos.
O secretário Clodoaldo aproveitou para agradecer sua equipe e também o prefeito Enedino Filho e seu vice Eder Aguiar pelo apoio recebido e por acreditarem em seu trabalho frente à Secretaria, que é composta também pela equipe da SEMEC; direção, supervisão e demais profissionais da educação das escolas e aos pais pela parceria e apoio neste novo passo em prol à busca de melhorias na qualidade da educação municipal; bem como no sentido de amenizar os déficits de aprendizagem ocasionados pela COVID-19 no ano de 2020. Agradeceu ainda à Secretaria Municipal de Saúde, Comitê de Enfrentamento à COVID-19 do Município, Vigilância Epidemiológica e Vigilância Sanitária pelo apoio e acompanhamento nas ações propostas.
 
INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA
A Equipe Pedagógica da Rede Municipal de Ensino de Limeira do Oeste deu início à implantação do Plano de Intervenção Pedagógico. A medida visa amenizar os déficits de aprendizagem ocasionados pela suspensão das aulas no ano de 2020, em virtude da COVID-19. 
Está sendo realizado neste mês de fevereiro uma avaliação diagnóstica inicial com todos os alunos do Ensino Fundamental, tentando detectar fragilidades e dificuldades dos alunos a fim de inseri-los posteriormente, no Plano de Intervenção Pedagógico. 
“O Prefeito Enedino, preocupado com a qualidade da Educação Municipal, disponibilizou professores para o Plano de Intervenção Pedagógico a fim de que seja realizado reforço escolar semanal, a fim de sanarmos os prejuízos na aprendizagem dos educandos, ocasionados pela suspensão das aulas por conta da COVID-19”, disse o secretário.
Estes mesmos alunos passarão a receber aulas de reforço para que acompanhem suas turmas e não fiquem para trás no aprendizado proposto pelos educadores. 
“A escola vai fazer uma avaliação diagnóstica com cada aluno para averiguar os déficits de aprendizagem aí então eles serão inseridos no plano mediante reforço escolar. O aluno que estuda de manhã vem para o reforço à tarde e vice-versa. Existe uma coordenação, existe um plano formalizado e tudo mais. A gente aplica a avaliação diagnóstica, faz o levantamento da demanda, monta turmas de reforço e os professores que vão administrar o curso são orientados para isto. No primeiro e segundo bimestre a gente vai aplicar outra avaliação diagnóstica e aqueles que tiverem superados os déficits serão liberados das aulas de reforço. Os que não superaram ainda continuam com a intervenção pedagógica. Então teremos o ano todo para tentar sanar esse desequilíbrio causado pela Covid-19, no ano de 2020”, explicou Clodoaldo.
“Dependendo do grau de dificuldade, alguns alunos terão aulas praticamente em período integral para que tenha tempo de recuperar. Um exemplo, se o aluno estuda de manhã, ele irá voltar às aulas por exemplo de segunda e quarta-feira, durante duas horas para as aulas de reforço para acompanhar o restante de sua turma”, concluiu o secretário Clodoaldo.

Publicidade
Compartilhe esta notícia:
Facebook Twitter Whatsapp