Prefeitura e Corpo de Bombeiros reativam a Defesa Civil em Frutal

Desenvolvimento em 05 de abril, 2021 17h04m
Facebook Twitter Whatsapp

Por assessoria de imprensa

Ninguém pode negar a importância de um órgão que auxilie as pessoas no momento em ocorre algum desastre natural. E Frutal, ressalvadas as devidas proporções, também sofre com problemas como o desabamento de casas, enchentes e imóveis construídos em áreas de risco. Além disso, no período de seca, o nosso município sofre com as constantes queimadas que colocam em risco a vida da população.

Há algum tempo, a cidade não contava com a Defesa Civil, desativada há vários anos. E numa reunião realizada entre o comando do Corpo de Bombeiros e a Prefeitura de Frutal, ficou definida a reativação desse importante órgão. A reestruturação já está acontecendo dentro da sede do Corpo de Bombeiros com a instalação do chamado CICC (Centro Integrado Coordenação e Controle).

O comandante do Corpo de Bombeiros de Frutal, o Tenente Jeferson Pereira Velasco, destacou que foi “ativada uma vaga no Corpo de Bombeiros de Frutal, reconvocamos um militar que estava na reserva para cuidar dessas questões da Defesa Civil”.

O trabalho de reativação do órgão ainda está no início de juntada de documentos e estruturação. “Acredito que nas próximas semanas já começa a ativar o telefone 199, integrar a ambulância da Prefeitura junto com o Corpo de Bombeiros e Defesa Civil”. O passo seguinte é realizar levantamento de pontos e áreas de risco na cidade “para podermos atuar, tanto na prevenção, quanto na resposta em caso de desastres”, disse.

O 1º Sargento Fabiano Vieira, reintegrado ao serviço, será o coordenador da Defesa Civil. Para ele, realizar o levantamento inicial dos pontos críticos da cidade é fundamental “como locais onde haja imóveis construídos em áreas de risco e pontos de alagamento”.  
Apesar de não haver situação de deslizamentos de terras, há, entretanto, “os efeitos climáticos em época de chuva podendo haver enchentes. E na época da seca, temos os riscos de incêndios florestais”, finalizou.

Publicidade
Compartilhe esta notícia:
Facebook Twitter Whatsapp