Desembolso do BDMG bate recorde histórico entre janeiro e setembro

Desenvolvimento em 30 de outubro, 2020 10h10m
Facebook Twitter Whatsapp

O Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) fechou os nove primeiros meses de 2020 com um desembolso recorde em sua história: R$ 2,1 bilhões, alta de 162% em relação ao mesmo período de 2019. Do total liberado, 72% se deram por meio de recursos próprios, 27% foram provenientes de repasses de outras instituições e 1% de recursos de fundos.
O segmento que apresentou maior crescimento do desembolso foi o de micro e pequenas empresas, que recebeu R$ 681,8 milhões, o quádruplo do liberado no mesmo período do ano passado e também recorde na história do Banco.
No acumulado do ano até setembro, o BDMG atendeu 10.014 clientes, entre empresas e prefeituras, alta de 167% sobre os nove primeiros meses de 2019 e outro recorde histórico para o período. Estes clientes estiveram distribuídos em 644 cidades, 85% delas com IDH menor do que a média brasileira.
“Desde o início da pandemia, implantamos uma estratégia de redução de taxas, desburocratização e abertura para renegociação de dívidas a fim de ampliar o colchão de liquidez do empreendedor mineiro. Incorporamos no nosso portfólio a operação de programas federais, como o Pronampe, e intensificamos o relacionamento com instituições internacionais a fim de captar mais recursos para financiar a recuperação econômica em bases mais sustentáveis e inclusivas. Os resultados recordes de desembolsos demonstram que o BDMG tem cumprido seu papel de banco de desenvolvimento neste momento desafiador, preservando sua sustentabilidade financeira”, comenta Sergio Gusmão, presidente do banco.

Publicidade
Compartilhe esta notícia:
Facebook Twitter Whatsapp