Monitoramento da Covid de Frutal acompanha casos suspeitos e positivos e orienta pacientes quanto aos protocolos de saúde

Covid-19 em 27 de julho, 2021 14h07m
Facebook Twitter Whatsapp

Por Assessoria de Comunicação da SMS

Você com certeza já viu o Boletim Epidemiológico da Secretaria de Saúde divulgado diariamente nas redes sociais oficiais da Prefeitura e Secretaria e na imprensa local. O que muitos não sabem é que os dados nele contidos são produzidos pelo setor de Monitoramento da Covid-19, seguindo a Norma Técnica nº12 do Estado de Minas Gerais.

No monitoramento, os profissionais atuam em sistema de revezamento acompanhando os pacientes suspeitos e positivos para COVID 19 por meio de ligações de segunda a sábado, das 8h às 18h e aos domingos, quando necessário, em sistema home office. Em média, cada um faz 50 ligações de acordo com o número de casos que estão sendo monitorados no momento.

Segundo explica a coordenadora Taciana Brito, as ligações são feitas para o número de telefone do paciente informado no instante em que ele foi se consultar nos hospitais da cidade, Ambulatório Covid ou em clínicas médicas responsáveis pelo atendimento. Diariamente o setor de monitoramento recebe cerca de 100 notificações. “Por isso é tão importante que o paciente ao se consultar informe corretamente o número do seu telefone”, solicita. 

Nos casos positivos da doença, os profissionais de saúde realizam o monitoramento e acompanhamento do paciente e dos contatos, preferencialmente por telefone, a cada 24h, em pessoas com mais de 60 anos e portadores de condições clínicas de risco, e a cada 48hs nas demais situações. Já em pacientes suspeitos, o monitoramento é feito a cada 48h, acompanhando o paciente notificado e demais contatos.

Caso seja necessário atendimento presencial, o monitoramento solicita visita domiciliar junto à UBS de referência do bairro do morador, adotando as medidas de precaução de contato e o uso de EPI conforme os protocolos vigentes. “Havendo piora do paciente em tratamento domiciliar ou o agravamento dos sintomas dele e de seus familiares, eles são encaminhados para o hospital ou Unidade do Ambulatório do COVID”, informa.

Publicidade

Para o paciente que está do outro lado da linha, o setor de monitoramento passa importantes orientações como: permanecer em quarto isolado e bem ventilado; caso não seja possível isolar o paciente em um quarto único, manter pelo menos um metro de distância do paciente; se possível dormir em cama separada, limitar a movimentação do paciente pela casa; locais da casa que são compartilhados com demais moradores do imóvel como cozinha, banheiro devem estar bem ventilados e higienizados; utilizar máscara todo o tempo e trocá-la sempre que estiver úmida ou danificada e realizar higiene frequente das mãos, com água e sabão ou álcool em gel, especialmente antes de comer ou cozinhar e após ir ao banheiro.

A partir dos sintomas da Covid, o paciente positivo deverá permanecer isolado por 10 dias, já as pessoas que tiveram contato com esse paciente devem permanecer isoladas por 14 dias. Segundo lembra Taciana Brito, o cumprimento das normas deve ser obedecido rigorosamente. As visitas ao doente estão proibidas e o paciente só poderá sair de casa em casos de emergência. “O descumprimento do isolamento domiciliar pode resultar em denúncias que serão encaminhadas à Polícia Civil podendo resultar em penalidade ao paciente”, enfatiza.

Todas as informações obtidas durante as ligações são relatadas em um prontuário tais como horário da ligação, queixas, quadro clínico, e em seguida são digitadas numa planilha online para maior segurança das informações, desenvolvida pela Secretaria de Saúde. “Dados esses que são transmitidos ao e-SUS programa do Ministério da Saúde que otimiza a gestão da Atenção Básica por meio da informatização do SUS”.

Atendendo a uma exigência do Ministério da Saúde, o monitoramento faz o fechamento dos números de casos suspeitos e positivos. Em seguida, tem início a montagem do Boletim Epidemiológico com todos os dados necessários que é finalizado no dia seguinte com as informações complementares. “Feito isso, o Boletim é encaminhado ao setor de Comunicação da Saúde, que por sua vez, fica responsável por divulgá-lo à população frutalense”, conclui.

Publicidade
Compartilhe esta notícia:
Facebook Twitter Whatsapp